«

»

jul
12

Marcos Denner e Luiz Carlos jogam juntos?

Marcos Denner e Luiz Carlos podem jogar juntos? Esse foi o maior debate da primeira edição do Voz Esportiva, programa que estreou nesta segunda-feira na Rede Esportiva Rádioweb. Nem os integrantes da equipe RE, nem os torcedores rubro-negros chegaram a uma conclusão. Mas, a maioria mostrou desconfiança nessa dupla. Motivo, características semelhantes. O futebol não é exato, não há como afirmar nada. Porém, vejo Marcos Denner e Luiz Carlos como a melhor opção para o ataque rubro-negro.

Então respondo à pergunta. Sim, os dois podem atuar juntos. Com característica de centroavante, os dois, são marcados por serem goleadores. É um fator que leva a pensar que se deve optar por um ou por outro. Entre os atacantes do grupo do Brasil, Marcos Denner e Luiz Carlos são os mais qualificados. Na minha visão os mais qualificados – estando bem fisicamente, tecnicamente e mentalmente – do time devem sair jogando. A partir dos nomes a disposição o treinador tem que montar um esquema que melhor se adapte as características do seus atletlas. E não adaptar os jogadores a uma determinada formação tática.

Brasil no 4-4-2 com duas linhas. Chiquinho e Athos de wingers, chegando ao ataque de Marcos Denner e Luiz Carlos

No caso do Xavante, o técnico Beto Almeida, terá que escalar um meio-campo de bastante movimentação para ter Marcos Denner e Luiz Carlos juntos. Tem jogadores para isso. Imagino que o setor que o treinador Xavante projeta como titular seja; Carlos Alberto, Léo Medeiros, Chiquinho e Athos. Para jogar com dois centroavantes acredito que a melhor escolha seria formar uma linha. Athos pela direita, Carlos Alberto e Léo centralizados e Chiquinho pela esquerda.

Com dois wingers (meias-extremos) o Brasil teria a opção de jogadas pelos lados para utilizar o posicionamento dos dois atacantes na área. E também poderia ter a possibilidade da armação pelo meio, com a diagonal de Chiquinho e Athos. Isso tudo é hipotético, depende de treinamento. É bem diferente falar e executar. Athos é um jogador de técnica – não de velocidade – não sei se conseguiria adaptar-se a posição. Acredito que sim. Já Chiquinho teria mais facilidade por ter jogado de lateral.

Voltando aos dois atacantes. Um deles terá que  recuar para buscar jogo. Ficando os dois parados na frente, facilita a marcação. Mas, poderá ter um revezamento de quem sai para aproximar dos meias. Luiz Carlos deu entrevistas dizendo que prefere jogar com um jogador com características semelhantes a sua. Foi assim no Fortaleza com Nicácio. Deu certo, os dois foram artilheiros. Cabe a aposta na Baixada.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.