«

»

jul
03

Os meninos da Boca

Pelotas jogou no tradicional 4-4-2 com um quadrado no meio de campo

Hoje trago a vocês o time do Pelotas Sub-17 que venceu o Progresso por 2 a 1 e está perto de chegar a uma semifinal de Copa FGF. O propósito do post não é desmembrar a tática da equipe treinada por Felipe Müller. Mas, sim trazer ao torcedor áureo-cerúleo uma identificação com os meninos da Boca. Para que conheçam alguns jogadores que podem vir a fazer parte do elenco principal do Lobo.

O esquema tático é simples, porém, bem treinado. O tradicional 4-4-2 brasileiro, ou seja, com dois volantes a frente da linha defensiva e dois meias. Neste meio-campo destaco a função do camisa 5, Fernando, capitão do time, responsável pela transição defesa-ataque. Dionathan é o primeiro volante, não sobe muito e sua responsabilidade é dar cobertura as saídas de Fernando. Os dois meias tem características diferentes. Jefinho  é o clássico meia-esquerda. Canhoto, pensador, responsável por passes curtos e poucos toques na bola. Já Samuel é o apoiador, ou seja, o meia que corre com a bola.

Na defesa Zé Leonardo e Rodrigo Prado vem mostrando seguranças. Tanto na bola área, algo complicado na categoria, quanto no chão. Os dois laterais apoiam, contra o Progresso, Derick foi mais ativo do que Juninho. No gol Nielsen entrou durante o campeonato e mostrou muita segurança. Não falhou em nenhum lance e salvou o Pelotas em várias oportunidades.

Deixei o ataque por último devido a uma razão, ou melhor, devido a um jogador. O camisa 9, Elton, é o grande destaque desse time. Mostra velocidade, segura bem a bola na frente, levanta a cabeça quando domina, raramente fica em impedimento e sabe fazer gols. Ainda é jovem, tem muito a aprender e é o primeiro ano dele de juvenil. Mas, o artilheiro do Lobo é de se observar bem de perto. Tem grandes chances de dar muitas alegrias a torcida áureo-cerúlea. Completando, o camisa 11, André, é polivalente. Começou como lateral-esquerdo e agora é segundo atacante.

Mesmo sendo uma boa equipe no futebol não dá para afirmar que o Lobo vai passar pelo Progresso e será campeão do campeonato. Porém, mostra o resultado do trabalho feito nas categorias de base do Pelotas.

1 comentário

Nenhuma menção ainda

  1. Mauricio Mesquita disse:

    Grande post Vinícius. Isto que tu trouxeste do André, que hoje é segundo atacante… É reflexo justamente da categoria de base. Jovem, o jogador muda de posição quantas vezes forem necessárias até que se encontre em alguma.

    O André tem uma função tática muito interessante. Ele “puxa” a marcação e deixa o Elton mais livre.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.