«

»

jun
25

A bola e a mala

A palavra ‘mala‘ vem do francês, “malle“, que significa “saco de couro“. Uma mala é um objeto habitualmente retangular com cantos arredondados, feita de materiais como plástico, vinil ou couro, entre outros. Traz uma alça em um dos lados, e é geralmente usada para carregar roupas ou outros objetos durante viagens. No idioma espanhol, significa ““; no polonês, “pequeno“; no turco, “colher de pedreiro“; e no futebol, significa que “vem alguma ‘sacanagem’ por aí”.

As malas distribuídas no mundo da bola podem ser de três tipos: brancapreta e transparente. A  branca é vista por muitos como um “incentivo”, algo positivo. É dada para que um time supere o adversário e – assim – ajude o “dono da mala”. A preta é um verdadeiro crime. Oferecida para que seja feito corpo-mole, o cúmulo da ordinariedade. A transparente é apenas uma referência àquelas que são prometidas, mas nunca pagas. Elas somem, logo, não devem ter cor.

Não há outra explicação para o resultado do jogo em Vacaria se não um belo malote branco oferecido para a equipe da casa. Em uma partida com o Farroupilha precisando do resultado, foi o Glória o dono de todas as ações ofensivas, que culminaram em um sonoro 5 a 0, daqueles de dar vergonha. Sem dúvida nada apaga a brilhante campanha do técnico Badico, que chegou à fase final e representou a cidade entre times fortes. O clube e os profissionais não merecem ser criticados, e isso nem está em questão. Mas ontem o Fantasma só entrou em campo para fazer justiça ao seu mascote.

E aí acaba que voltam uns pra casa sem a vaga, enquanto outros, que já nem pensavam nisso, colhem os frutos financeiros de uma boa atuação comprada. Futebol é jogado dentro do campo, sim. Mas é fato que uma série de fatores externos decidem e – por que não? – atrapalham o esporte.

A bola pune e a mala elimina.

1 comentário

Nenhuma menção ainda

  1. Igor Lacerda disse:

    Faz parte! O choro do mais fraco é tão baixo que nem se escuta, o futebol eh reflexo da sociedade. Quem vem de baixo sempre terá q fazer mais força para vencer, é a regra. Não dá pra esquecer também que na hora H o Farrapo fracassou 2 vezes, e agora já era. Só resta torcer para que a assombração do Fragata possa ser mais assustadora no ano que vem!

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.