«

»

mar
02

Fatores a se observar

Farroupilha e Brasil, clássico que abre a “Segundona” para nós pelotenses, será o primeiro jogo do ano que, de fato, demonstrará quem é quem nesta temporada. Para este jogo e para suporte de uma primeira análise dos dois times, teremos que levar em conta, pelo menos, cinco fatores.

Bola parada: A dimensão do campo tricolor implica no seguinte fator: número de faltas elevados. É comum assistirmos jogos no Nicolau Fico e observarmos o uso constante da bola parada frontal. A habilidade de jogadores rápidos em pequenos espaços gera a falta. Será interessante atentar para a pontaria dos pés rubro-negros e tricolores.

Dimensões do campo: O gramado do Nicolau Fico tem dimensões menores em comparação ao do Bento Freitas, por exemplo. Os espaços, logo, são menores. A tendência, com isso, é que a bola aérea de ambas equipes estaja sob observação constante.

Goleiros: No Nicolau Fico, é costumeiro os atletas adotarem a filosofia do “abriu, chutou”. Será uma boa ocasião para checar a segurança de cada goleiro. Há o risco do “montinho artilheiro” também, que, confesso, não sei se ainda se faz presente nas pequenas áreas do gramado.

Pressão: Será que algum atleta sentirá a responsabilidade de atuar no clássico? A torcida Xavante, em maior número provavelmente, será que irá constranger algum atleta do Fantasma ou assustar até mesmo um jogador de vermelho e preto? Alguém sentirá o peso da estreia ou do clássico?

Pulmão: À tarde, o calor não deverá pegar leve com os atletas. Quem vai demonstrar bom preparo físico ou então desapontar?

__________________________________________________________________________________________

Caxias campeão

Quem vem acompanhando o futebol há uns cinco anos sabe o quanto o Caxias merece o título do primeiro turno do estadual. Há tempos “vinha chegando”. Quem está no caminho certo, uma hora acerta. E o Caxias é, talvez ao lado somente do Juventude, o único time do interior que está no caminho certo, sem mudar o percurso. No Caxias, as diretrizes da direção não mudam de modo frequente. Mudam, sim, os resultados. Cada vez melhores.

Um dia, quem sabe, a cidade de Pelotas chega lá. Mas, se chegar, ainda levará tempo. Estamos longe. Hoje, um títulos desses viria mais por sorte do que merecimento. A final de turno do Pelotas em 2010 me faz crer que aquilo foi um momento de rara felicidade: sorte. Basta verificarmos a sequência, os anos seguintes. Futebol bem feito não se faz com tantas irregularidades, ainda que o mesmo não se trate de uma ciência exata. Afinal, “A bola não entra por acaso“. Para quem discorda, basta procurar a livraria mais próxima.

2 comentários

Nenhuma menção ainda

  1. cristiano disse:

    Bom texto!´´E necessário reconhecer o bom trabalho da Ser Caxias!

  2. Xavante disse:

    SEGUNDO OS BORDEROS:
    EM 71 JOGOS
    ARRECADAÇÃO TOTAL: R$ 4.047.462,00
    PÚBLICO PAGANTE TOTAL: 168.650
    MÉDIA DE RENDA: R$ 57.006,51
    MÉDIA DE PÚBLICO: 2.375
    CLUBES COM MELHOR MÉDIA DE PÚBLICO:
    1-GRÊMIO – 10859
    2-INTER – 5361
    3-CAXIAS – 4853
    4-JUVENTUDE – 3837
    5-YPIRANGA – 2302
    6-NOVO HAMBURGO – 2049
    7-PELOTAS – 1719
    8-VERANÓPOLIS – 1006
    9-SÃO LUIZ – 829
    10-SANTA CRUZ – 692
    11-AVENIDA – 585
    12-LAJEADENSE – 567
    13-CANOAS – 506
    14-SÃO JOSÉ – 414
    15-CERÂMICA – 196
    16-CRUZEIRO – 127

    E isso que é a que mais cesce.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.